Os tipos de músculos

Algumas pessoas têm facilidades em treinos de resistência. Outros em treinos de força. Por que será que existem essas diferenças? Será o tipo de treino? Isso determina a performance no esporte?

Poucas pessoas sabem, mas possuímos fibras musculares diferentes. Quando fazemos um treino de resistência, por exemplo, estamos dando ênfase em um tipo de fibra específica.

Talvez você esteja se perguntando “por que eu preciso saber disso?”. Esse conhecimento explica muitas coisas, como porque algumas pessoas são melhores em certas atividades e piores em outras e porque a necessidade de periodizar o treino. Parece complexo, mas é simples.

Os tipos de músculos – fibras musculares

Tipo I

Fibras do tipo I tem a contração mais lenta e usam o oxigênio como fonte de energia, são músculos que não sofrem muita hipertrofia. São facilmente encontradas na região da panturrilha, abdômen e dorsais, essas regiões normalmente têm que manter uma contração por muito tempo, seja para nos manter em pé ou com a postura adequada.

Pessoas com esse tipo de fibra muscular tornam-se bons atletas de endurance, como maratonistas, ciclistas e triatletas.

Tipo II

Essas fibras musculares podem ser divididas em IIa e IIb.

Fibras do tipo IIa possuem capacidade de contração rápida e capacidade oxidativa, ou seja, são mais resistentes.

Fibras do tipo IIb são de contrações rápidas (explosivas), anaeróbicas e sofrem maior hipertrofia. Predominante em atletas de explosão como ginastas e velocistas.


Ronaldo era um excelente atacante, conhecido por suas arrancadas rápidas que deixava os zagueiros para trás. Sua predominância muscular era de fibras do tipo IIb, mas ele tinha e devia treinar resistência para aguentar a partida inteira, afinal ele não ficava apenas dando arrancadas o jogo inteiro.
Felizmente não temos a mesma quantidade e tipo de fibras, uma vez que são determinadas pela genética, mas conhecer as diferenças é importante. Imagine agora um time de futebol. A posição do atleta e sua característica podem variar de acordo com suas habilidade e fibras. Veja um exemplo:

Isso ocorre com atletas de todas as modalidades esportivas e saber o tipo de fibra predominante e sua característica principal pode melhorar seu desempenho. Lembre-se que existem outros aspectos físicos que também devem ser treinados.

Todos nós possuímos os três tipos de fibras e ao iniciar a atividade as três são ativadas, mas de acordo com a intensidade do exercício e com volume do treino, uma predominará. Por essa razão abordo os assuntos relacionados à intensidade e volume do treino aqui no HdT.

Não adianta querer treinar explosão muscular com uma carga muito baixa e por muito tempo. Ou achar que vai ganhar resistência muscular com uma carga muito alta: isso o deixa propenso à maior risco de lesão.

Já sabe o que vai treinar hoje? Então se aqueça bem, arrume a carga e…

Bom Training

Image FreeDigitalPhotos.net

Autor: Renato Santiago

Personal Trainer por profissão, blogueiro por acidente. Treino é mais do que um vício: é um estilo de vida para mim! Saiba mais sobre o Renato

Comentários

Leia o post anterior:
Pedalando
A Hora de Pedalar

Usado como brinquedo para crianças, transporte para alguns e treinamento para outros, devemos nos aprofundar nesse tema e descobrir as...

Fechar