Existe exercício errado?

Existe exercício errado?

Praticantes de esportes e frequentadores de academia podem ter essa dúvida: “Esse exercício está certo?” ou “estou fazendo o exercício mais adequado para mim?” ou ainda “esse exercício é efetivo para o resultado que espero?”. Um grande amigo meu, Isaias Vieira, sempre diz, e concordo 100%: “não existe exercício errado; a pergunta que deve ser feita é quem pode fazer esse ou aquele movimento.”

É comum ver revistas com fotos de passo a passo de exercícios específicos, tais como “5 exercícios para glúteos” ou “abdômen reto em 30 dias”. Essas chamadas de revistas são “apelos” da mídia para chamar atenção de leitores que querem, claro, glúteo grande e abdômen reto. Esses exercícios funcionam? Esse assunto é para outra conversa, mas já respondo aqui –DEPENDE DE QUEM FAZ!

Toda essa informação dada pela metade ao público causa uma confusão sobre o que é certo e o que é errado que deve ser esclarecida. Pensem comigo: ao ver uma ginasta como a Daniele dos Santos fazendo sua rotina no solo, saltando, girando, dando mortais, não imaginamos o preparo físico que ela teve antes dessa apresentação.

Vocês acham que foi fazendo 3 séries de 10 abdominais que ela conseguiu a medalha de ouro? Alguém já viu um treino de Futebol Americano? Todos muito fortes e intensos. Essas pessoas podem fazer esses exercícios? Claro que sim. Existe uma disposição genética que favorece certas pessoas a trabalhos mais pesados.

Assim como a educação desde a primeira infância, a alimentação e preparo psicológico que estão lá no indivíduo que executa esses movimentos mirabolantes ou pesados. Eles se machucam? Claro que sim. Assim como outras pessoas têm torcicolos por dormirem em posição inadequada, eles torcem seus tornozelos levantando um carro! Apenas o parâmetro é outro.existe exercício errado?

Realidade agora: imagine uma pessoa sedentária, ela pode fazer flexões de braço sem apoio nos joelhos? Talvez nem com o apoio, não é mesmo? Por que não pode? Por vários motivos.

1. Não tem força desenvolvida para tal;

2. Pode machucar a lombar, já que esse movimento específico exige força grande dos abdominais;

3. Pode machucar os ombros pela mesma razão acima;

4. O grau de frustração será enorme. Ninguém deve sofrer disso!

Conclusão: esse exercício não é adequado para essa pessoa. Agora, a Marta, jogadora de futebol, pode fazer o mesmo exercício? Sim, ela pode. Tem a experiência, a força e fará facilmente a mesma flexão, sem lesões nem perigos. Conclusão 2: esse exercício é adequado para a Marta. Então, flexão de braço não é “errado”? Não existe exercício errado. Uma pessoa pode e consegue executar sem danos para seu corpo qualquer movimento e outra pessoa, não.

É muito comum pessoas assistirem o Frank Mendrano e ficarem chocadas de ver o que ele faz. A pergunta é sempre a mesma: como eu consigo fazer isso? A resposta é cruel: talvez nunca. Ou se talvez dedicar-se como ele (que faz só isso), mais alimentação, mais a genética dele e a namorada para ajudar, em uns 5 anos de treino você consiga.

Percebeu como não há certo nem errado e sim, quem pode fazer certos movimentos? Essa polêmica de “certo/errado” surgiu a partir do momento que começaram as pesquisas sobre exercícios. Pesquisa-se um grupo qualquer de pessoas e conclui-se que certos exercícios causam lesões nas articulações.

Graças a um grupo de professores de educação física com quem tive muitos encontros em Araraquara, concluímos que dependendo do indivíduo, certos exercícios podem ser perigosos ou não.

Por exemplo: iniciantes devem evitar certos movimentos até que adquiram força e controle tais que permitam a ele experimentar movimentos mais ousados. Outros grupos devem receber atenção especial: idosos, pessoas com problemas de saúde, grávidas, obesos.

Cada grupo tem limitações que devem ser consideradas pelo profissional que irá prescrever os exercícios, evitando assim, lesões e desconforto exagerado.

Você não se sente à vontade executando algum movimento? Fale com seu professor. Mude de treino. E evite comparar-se com as outras pessoas que treinam ao seu redor. Nunca sabemos as limitações do outro que podem ser maiores ou menores que as suas!

A equipe HdT tem profissionais que podem responder suas dúvidas com relação a treinos e execução “correta” caso você necessite de auxílio.

O corpo humano, infelizmente, não acumula força física. Acumula gordura, pois é um alimento que ele processa para manter as funções básicas. Já força muscular, o corpo não guarda. Portanto, mantenha sua força física fazendo exercícios regularmente. Respeite seu corpo, escute-o e treine de acordo com suas necessidades.

Faça do seu corpo seu templo!

Sobre o Autor

Fomos arquitetados para o movimento. Não há sentido em ficar sentado o dia todo! Consultora em fitness. Quer uma consultoria para sua academia ou clube? Saiba mais sobre a Marcia