Por que saúde se relaciona com atividade física?

Por que saúde se relaciona com atividade física?

Nos últimos dez anos a propaganda nos meios de comunicação de incentivo à atividade física aumentou vertiginosamente. Junto com ela, a adesão de novos participantes de corridas e esportes nos parques e quadras quadruplicou. Movimentar o corpo faz parte da manutenção da saúde?

O número de clientes em academias também aumentou consideravelmente. Recentemente uma rede de academias brasileira comemorou seus mais de 500 mil clientes! O apelo que se ouve muito comumente é “eu faço exercícios pela minha saúde”.

Apesar de sabermos que a maioria dos adeptos ao exercício físico o buscam para ficar em “forma” ou na “forma da moda”, muitos também querem qualidade de vida, manutenção de saúde ou até apenas sentir-se bem.

Mas quanta “saúde” conseguiremos através da prática de exercícios físicos?

Muitos pesquisadores têm se dedicado a procurar as respostas a essa pergunta e muitos estudos foram feitos em todo o mundo.

De acordo com Matsudo & Matsudo (2000), os principais benefícios à saúde resultantes da atividade física são concentrados nos seguintes aspectos:

– Antropométricos e Neuromusculares: diminuição da gordura corporal; incremento de força e da massa muscular, da densidade óssea e da flexibilidade.

– Metabólicos:  o aumento da potência aeróbica; o aumento da ventilação pulmonar; a melhora do perfil lipídico; a diminuição da pressão arterial; a melhora da sensibilidade à insulina e a diminuição da frequência cardíaca em repouso e no trabalho submáximo.

– Psicológico: melhoria da autoestima, do auto conceito, da imagem corporal, das funções cognitivas e de socialização, na diminuição do estresse e da ansiedade e na diminuição do consumo de medicamentos.

Eu não tenho doenças. Para que exercitar-me?

Vocês já se perguntaram quantos saudáveis vocês são? Existem um parâmetro?  Sim, existe uma definição para saúde, uma para atividade física, etc. Veja onde você se encaixa:

De acordo com o estudo “Relação entre atividade física, saúde e qualidade de vida” de Luís Otavio Teles Assumpção, Pedro Paulo de Morais e Humberto Fontoura:

“Atividade Física é definida, segundo Caspersen (1985) como qualquer movimento corporal produzido pelos músculos esqueléticos que resulta em gasto energético maior do que os níveis de repouso.

Saúde, de acordo com Bouchard (1990), é definida como uma condição humana com dimensões física, social e psicológica, cada uma caracterizada por um continuum com pólos positivos e negativos. A saúde positiva estaria associada à capacidade de apreciar a vida e resistir aos desafios do cotidiano e a saúde negativa associar-se-ia à morbidade e, no extremo, à mortalidade.

atividade física e saúdePara a Aptidão física, adotam a definição de Bouchard et al.(1990): um estado dinâmico de energia e vitalidade que permita a cada um, funcionando no pico de sua capacidade intelectual, realizar as tarefas do cotidiano, ocupar ativamente as horas de lazer, enfrentar emergências imprevistas sem fadiga excessiva, sentir uma alegria de viver e evitar o aparecimento das disfunções hipocinéticas.”

Ressaltando que, de acordo com os pesquisadores, ser saudável é ter “capacidade de apreciar a vida e resistir aos desafios do cotidiano “ e ter aptidão física é “realizar as tarefas do cotidiano, ocupar ativamente as horas de lazer, enfrentar emergências imprevistas sem fadiga excessiva, sentir uma alegria de viver”.

Quantas pessoas vocês têm em casa deficientes dessas qualidades? Vocês têm todas elas? Quem consegue enfrentar emergências imprevistas sem fadiga excessiva?

Sem sombra de dúvidas que precisamos de atividade física para estarmos nesse estado de saúde e aptidão física ideal! A vida moderna nos afasta desse estado: o estresse, o trânsito, a luta diária de provações de toda natureza nos leva ao oposto da definição de saúde.

Relacionando os benefícios da atividade física com as definições de saúde e aptidão física, conclui-se da necessidade urgente de conscientizar a população da importância da caminhada, do uso de escada em vez de elevador, de sair para dançar, de fazer algum exercício em casa ou de ir para uma academia!saúde

Cientistas e pesquisadores provam que nossos corpos foram projetados para o movimento. E nos tempos atuais, a inatividade é presenteada com escadas rolantes e controles remotos! Somos rodeados de confortos que nos impelem a não atividade. Entretanto nossas articulações e músculos continuam desejando apenas uma coisa – movimento! E a falta de movimento, já foi comprovada várias vezes, causa doenças.

Ser saudável está ao alcance de qualquer um. Basta prevenir-se antes da doença instalar-se, pois, caso ela se instale, um longo e doloroso caminho terá que ser trilhado até conquistar-se a saúde novamente.

Convença-se da necessidade de movimentar-se, beneficie-se com os resultados, converse com seus parentes e amigos inativos, crie uma cultura de movimento.

Nós podemos ser a semente da mudança de atitude. Uma sociedade é criada de pessoas, e nós somos pessoas conscientes da nossa saúde.

Divulgue o “movimento”. Viva mais feliz. E bons treinos!

Sobre o Autor

Fomos arquitetados para o movimento. Não há sentido em ficar sentado o dia todo!