Saúde > Fisioterapia: entenda qual é a cobertura do plano de saúde

Fisioterapia: entenda qual é a cobertura do plano de saúde

fisioterapia plano de saúde

Não é incomum que ocorram lesões durante atividades de alto impacto ou até mesmo depois de um treino mais pesado. Em algumas situações, uma boa compressa com água quente ou bolsa de gelo pode resolver o problema, mas casos mais graves exigem fisioterapia.

Se você é cliente de plano de saúde, é nessa hora que bate aquela dúvida: será que a cobertura do plano de saúde inclui serviços como a fisioterapia? Pensando nisso, realizamos uma parceria com a Zelas Saúde para esclarecer qualquer dúvida que você possa ter sobre este assunto.

Desta forma, você já pode marcar a sua consulta e voltar o quanto antes para o treino. Confira!

Afinal, o meu plano de saúde cobre fisioterapia?

Os tratamentos fisioterapêuticos também fazem parte do rol de procedimentos da ANS, ou seja, sua cobertura é obrigatória. Contudo, algumas exigências são feitas para que as operadoras liberem o procedimento como, por exemplo, um laudo médico comprovando a necessidade da terapia.

Entretanto, se você tiver adquirido o seu convênio médico antes de 1999, ano da regulamentação do setor, é muito provável que esse serviço seja negado pela operadora. Nestes casos, converse com a empresa para uma atualização do rol, mas se não for uma opção, considere trocar de operadora e avalie quais são os melhores planos de saúde.

Consultas x sessões

Muitos beneficiários não sabem, mas a cobertura do plano de saúde é diferente para as consultas e sessões de fisioterapias. Se tratando de consultas, o beneficiário tem o direito de até duas por ano para cada nova doença diagnosticada.

As sessões devem ser ilimitadas e de acordo com a necessidade apontada pelo seu médico, segundo regulamentação da ANS. Sendo assim, se o seu plano de saúde restringir o número de sessões de fisioterapia é possível acionar os órgãos de defesa ao consumidor.

Critérios para a cobertura da fisioterapia

Assim como outros tratamentos do plano de saúde, o critério que decide ou não pela liberação da fisioterapia é a necessidade comprovada por um médico. Para a liberação de consultas é necessário primeiro se consultar com um clínico geral e, posteriormente, ser encaminhado para um fisioterapeuta.

Para a liberação das sessões, é o próprio fisioterapeuta que atesta a sua necessidade, bem como a quantidade. Desta forma, assim como os procedimentos estéticos, não basta apenas desejar fazer o tratamento.

Tratamentos com cobertura

Uma vez comprovada a necessidade do paciente, cabe apenas ao médico responsável definir qual será abordagem ou tipo de tratamento mais eficaz. Por isso, saiba que os beneficiários têm acesso a todos os procedimentos disponíveis, desde que não sejam experimentais.

Abaixo, as técnicas mais utilizadas em sessões de fisioterapia:

  • Eletroterapia
  • Crioterapia
  • Cinesioterapia
  • Massoterapia
  • Mecanoterapia
  • Hidroterapia
  • Fototerapia
  • Terapia respiratória
  • Terapia manual
  • Termoterapia

Os tratamentos também podem ser feitos à base de analgésicos ou anti-inflamatórios, medicamentos que não entram na cobertura dos planos médicos.

Reembolso para fisioterapia

Nem sempre o seu médico de confiança atende convênios médicos e, nessas situações, é possível realizar as consultas e solicitar o pagamento de reembolso posteriormente. Contudo, não se esqueça de observar primeiro se o seu plano de saúde contempla este benefício.

Se você tiver esse direito, pague pela consulta e não se esqueça de solicitar com o seu médico a nota fiscal discriminando todos os procedimentos realizados. Feito isso, basta conferir qual é o processo de reembolso adotado pela sua operadora e enviar a documentação necessária.

Carência dos tratamentos de fisioterapia

Se você quer contratar um plano de saúde pensando em aproveitar, dentre os outros benefícios, a cobertura para consultas e sessões de terapia, saiba que estes procedimentos possuem um período de carência.

A carência é o tempo que o cliente deve aguardar após a contratação antes de começar a utilizar alguns serviços do convênio médico. No caso da fisioterapia, a carência máxima é de 180 dias, sendo que algumas operadoras preferem diminuir este período, porém fica a critério de cada empresa.

Sempre fique por dentro de qual é a cobertura do plano de saúde que você contratou. Desta forma, você não precisa esperar para fazer suas consultas e tratamentos, além de evitar gastos excessivos em clínicas particulares.

Já conhece a Zelas Saúde? O portal busca descomplicar a contratação dos planos de saúde, compartilhando informação e deixando explícitas as letras miúdas. Não deixe de conferir!