Saúde > Atividade física pode ajudar uma pessoa com parkinson?

Atividade física pode ajudar uma pessoa com parkinson?

parkinson e atividade física

Pessoas que sofrem com parkinson, ao praticar alguma atividade física, reduzem os sintomas da doença, fazendo com que seja possível fazer as atividades diárias normalmente e diminuindo a velocidade da evolução da doença.

Como nós sabemos, uma rotina que inclua a prática de exercícios é extremamente importante para a manutenção da saúde de qualquer indivíduo, o que não seria diferente para alguém que sofre com essa doença.

Existem diversos estudos científicos que comprovam os efeitos benéficos da atividade física sobre a saúde de uma pessoa que sofre com esse problema.

O que é parkinson?

O mal de Parkinson é uma doença causada pela degeneração progressiva do sistema nervoso central. Nessa doença ocorre a destruição de neurônios que são produtores de dopamina (neurotransmissor relacionado ao domínio dos movimentos corporais).

Quando alguém começa a sofrer com o processo de destruição dessas células do sistema nervoso central, ela começa a apresentar rigidez muscular e passa também a ter tremores que não é possível controlar.

Porém, nem sempre a presença de tremores involuntários indica que a pessoa sofre com o parkinson. Há portadores da doença que não apresentam esse sintoma.

Os sintomas do mal de parkinson são os tremores involuntários enquanto a pessoa está em repouso, rigidez muscular, movimentos lentos (incluindo passos mais lentos que o normal e/ou arrastados) e perda de expressões faciais.

Além desses sintomas, é comum também a depressão, dores constantes nos músculos e prisão de ventre. O Parkinson não é uma doença da terceira idade, cada vez mais pessoas jovens aparecem com o sintoma precoce.  A causa da doença ainda é desconhecida.

Atividade física pode retardar e ajudar no parkinson

Uma pessoa que sofre com a doença de parkinson e começa a fazer algum tipo de atividade física consegue amenizar e retardar os sintomas da doença.

Estudos científicos comprovam que um indivíduo portador de parkinson, que pratica de forma regular alguma atividade, passam a desempenhar com mais facilidade as tarefas do seu cotidiano por apresentarem redução de sintomas.

Além de melhorar nessa questão, a atividade física também reduz a velocidade com que a doença evolui, reduz o cansaço crônico, melhora o desempenho cardiovascular e fortalece os músculos e neurônios, se tornando assim um ótimo tratamento para o mal de parkinson.

Entre os melhores exercícios para parkinson estão a caminhada, andar de bicicleta ou fazer natação. O importante mesmo é que esses exercícios sejam feitos de forma regular, de 4 a 5 dias na semana, com duração de 30 minutos. Al

Dessa forma a atividade física passa a contribuir no aumento da qualidade de vida de pessoas com parkinson, trazendo mais independência, além da saúde física e mental.

A atividade física realmente ajuda a controlar e retardar os sintomas do parkinson. Porém, é necessário que os exercícios feitos estejam alinhados com o trabalho do sistema respiratório (inspiração e expiração).

Esse alinhamento é necessário para exercitar o sistema respiratório, já que pessoas com a doença podem acabar desenvolvendo problemas respiratórios.

Gostou? Compartilhe! Curta nossa Fanpage!