Contagem de carboidratos para emagrecer e para diabéticos

Contagem de carboidratos para emagrecer e para diabéticos

Você já ouviu falar em contagem de carboidratos? Se conhece alguém com diabetes, provavelmente já ouviu o termo. Como essa técnica pode auxiliar no controle de glicemia?

Atualmente, um dos métodos mais utilizados para melhorar a glicemia no diabetes é a contagem de carboidratos que é utilizada como uma ferramenta no tratamento do Diabetes tipo 1 e 2. O seu objetivo é melhorar o controle glicêmico reduzindo as variações das glicemias após as refeições depois de 2 horas, também chamado de pós prandial, através da soma em gramas de carboidratos de cada refeição.

Por que fazer a contagem de carboidrato?

Além de ajudar no controle do diabetes, o acompanhamento da quantidade de carboidratos consumida pode auxiliar na redução de peso pois, nos faz ter escolhas mais saudáveis e evita o consumo excessivo de carboidratos.

Para a aplicação da contagem de carboidratos em gramas é fundamental considerar o total de carboidratos consumidos por refeição.

Este método, portanto, consiste na estimativa da quantidade de carboidratos contida nos alimentos ingeridos em cada refeição, encontramos essas informações através de tabelas de referência e/ou nos próprios rótulos dos alimentos.

No caso daqueles que utilizam insulina como forma de tratamento ao diabetes, a quantidade de carboidratos ingerida determina a dose de insulina a ser aplicada.

contagem de carboidratoEssa contagem não fixa a quantidade exata de carboidratos que deve ser consumida por refeição, sendo baseado apenas nas preferências pessoais dos pacientes, nos medicamentos e nas necessidade de calorias diárias.

Ressalta-se, porém, que as recomendações de calorias e de gorduras diárias não devem ser excedidas, para evitar ganho indesejável de peso e evitar descontrole do diabetes.

Por outro lado, se o objetivo for controlar o peso além de melhorar a saúde, é importante ter um valor limite de consumo de carboidratos por refeição, estipulado por uma nutricionista.

O consumo flexível de carboidratos está associado com uma dosagem de insulina também flexível onde a dose é determinada pelo próprio paciente em função da quantidade de carboidratos que ingere em cada refeição.

A liberdade na alimentação, combinada com a terapia intensiva insulínica, promove o controle glicêmico e a qualidade de vida em pacientes com diabetes, reduzindo os episódios de hipoglicemia (queda na taxa de açúcar do sangue) e complicações cardiovasculares.

Além de permitir a variedade nas escolhas alimentares, a contagem de carboidratos em gramas oferece autonomia no controle do diabetes.

Como funciona o método de contagem de carboidratos?

A contagem pode ser realizada de duas formas, uma utiliza a contagem de carboidratos em gramas e outra utiliza uma lista de equivalentes. De qualquer forma, o método deve ser utilizado juntamente com uma alimentação saudável.

É um método trabalhoso, exige dedicação de forma integral já que é necessário listar os alimentos ingeridos em cada refeição, bem como suas quantidades em medidas caseiras ou gramas e, a partir de consulta a tabelas e/ou rótulos, calcular a quantidade de carboidrato existente na porção consumida.

Mas, é preciso ressaltar que, após um tempo as quantidades de carboidratos, bem como suas medidas, ficarão gravadas na memória, facilitando o momento do cálculo.

Este método exige que as pessoas com diabetes sejam educadas em relação à quantidade de carboidratos existente em cada alimento e cada refeição, ao tipo de carboidrato que compõe o alimento, à estimativa das porções consumidas, ao componentes da refeição, à medicação utilizada no tratamento, à influência da atividade física na glicemia e à associação existente entre a alimentação e os níveis glicêmicos.

A contagem permite que a pessoa que tenha diabetes, com o auxílio de um nutricionista, escolha os alimentos que deseja consumir em cada refeição e, a partir da soma dos gramas de carboidrato contidos em cada alimento, realize o ajuste do chamado bolus prandial, isto é, a dose de insulina rápida ou ultrarrápida a ser utilizada para metabolizar os carboidratos contidos naquela refeição.

Há também o bolus de correção, que é uma dose extra de insulina rápida ou ultrarrápida utilizada nos casos em que a glicemia pré-prandial (jejum ou antes da refeição) excede o limite desejado.

contagem de carboidratos para diabéticos O cálculo do bolus prandial e do bolus de correção, bem como os horários de aplicação de insulina, devem levar em consideração os seguintes itens:

  • Nível de glicose pré-prandial;
  • Meta glicêmica (prescrita pelo médico);
  • Fator de sensibilidade (também determinada pelo médico, representa quanto uma unidade de insulina rápida ou ultrarrápida reduz a glicemia do indivíduo);
  • Realização de atividade física posterior a refeição;
  • Experiências alimentares prévias e
  • Quantidade de carboidratos ingeridos na refeição.

Geralmente, uma unidade de insulina é capaz de metabolizar de 10 a 20g de carboidratos em adultos, dependendo do peso corporal, do horário do dia, da resistência à insulina e do grau de atividade física. Em crianças, como a sensibilidade ao hormônio é maior, a relação insulina/carboidrato é normalmente considerada como sendo uma unidade a cada 30 gramas de carboidratos.

A pessoa que deseja adotar a contagem de carboidratos deve estar disposto a passar por treinamento específico, a conhecer tamanhos de porções alimentares e a se habituar à leitura de rótulos e tabelas de alimentos.

Se depois de toda essa explicação você ainda tem vontade de realizar a contagem de carboidratos para melhorar seu controle glicêmico ou perder peso, procure uma nutricionista!

Marque sua consulta (clique aqui) e tenha uma vida mais tranquila e com qualidade!

Sobre o Autor

Nutricionista por amor... Deixe que a nutrição cuide de você! Marque sua consulta CRN:3-40982