Os efeitos do álcool para quem treina

Os efeitos do álcool para quem treina

Você sabe quais são os efeitos do álcool para quem treina? Alguns podem contestar, mas especialistas comprovam o que afirmam. Álcool e atividades físicas estão longe de combinarem.

Muitas pessoas defendem seus preceitos, sustentando o fato de tomarem sua cervejinha e não sentirem qualquer diferença no desempenho. Essa diferença, na realidade, é a princípio imperceptível, e, acima de tudo, severamente gradual.

Inúmeras pesquisas de desempenho já foram realizadas para tratar do assunto. Afinal, sair para beber socialmente é algo que faz parte da cultura humana. Infelizmente, esse mau hábito afeta a todos. Nos atletas, então, o efeito parece abater ainda mais as funções básicas que ele necessita para seu treino diário.

Não à toa, o álcool já deve ser evitado por pessoas que não exigem muito do corpo. Imagine então alguém que constantemente abusa da força corporal?

O álcool é uma droga legalizada maléfica que já faz parte do cotidiano. Expor os riscos é necessário para entender como ele age no organismo. Apesar de nenhum efeito aparente parecer estar ocorrendo, o interior do corpo grita enquanto o exterior ainda parece calado. Mas o que não se sabe é que os órgãos internos fazem uma força imensa para sustentar as várias cervejas consumidas no dia anterior.

A incompatibilidade entre álcool e atividade física

Afinal, é mito ou verdade que o praticante de esportes não deve consumir álcool? Na realidade, não é proibido o consumo. Entretanto, é notado em diversas pesquisas que há um decréscimo em inúmeras atividades.

A pessoa que pratica atividade física e consome uma quantidade significativa de álcool em vários períodos da semana apresenta uma deterioração da qualidade física. Isso se deve ao álcool diminuir a força, a velocidade, a capacidade cardiorrespiratória e a resposta muscular. Ele prejudica também o equilíbrio e a respiração, vamos ver os principais efeitos do álcool.

álcool e atividade físicaOs principais efeitos do álcool para quem treina

Constantemente vemos que o álcool é prejudicial ao organismo. Mas onde ele verdadeiramente prejudica o corpo? Listamos um pequeno número de fatores provocados e aguçados pelo consumo de álcool e que atrapalham a prática esportiva. Confira:

Desidratação constante: é a maior consequência da combinação. O efeito do álcool é totalmente prejudicial à função desempenhada pelos rins, promovendo perda significativa de água e eletrólitos, o suor e a urina são potencializados;

Arritmia cardíaca: pode ser provocada pelo rápido distúrbio ocasionado pela função renal que acaba “desperdiçando” água e eletrólitos por causa do álcool no organismo;

Ganho de peso: devido à grande quantidade de calorias em um copo de cerveja, por exemplo, é notado ganho de peso após poucos dias de análise sobre o consumo;

Hipoglicemia: o álcool possui um efeito de diminuição da glicose no organismo. A atividade física, por si só, já é um fator que contribui para isso. Misturado com o consumo de álcool, tem-se um efeito potencializado – e péssimo para o organismo. Essa ausência de glicose para queimar na atividade física provoca no corpo um efeito que o faz usufruir da proteína como fonte de energia;

O álcool prejudicando no ganho de massa muscular

Assim como as especificações anteriores, ingerir álcool e fazer musculação pode trazer graves malefícios ao corpo.

Uma alta ingestão incontrolável de bebida alcoólica no dia anterior pode acabar causando deficiências graves de inúmeras vitaminas essenciais para o corpo. Entre elas, podemos citar: C, B1, B2, B6 e B12, todas fundamentais para quem deseja potencializar seus ganhos musculares.

É praticamente impossível construir massa muscular se uma destas vitaminas estiver em deficiência no corpo.

Afetando também o quesito hormonal, o álcool interfere e age diretamente na hipófise e no hipotálamo, como também nos testículos.

Quem bebe em demasia acaba, inclusive, perdendo boa parte de suas características particularmente masculinas. Afinal, os testículos, por exemplo, são encarregados da produção do principal hormônio masculino, responsável sobretudo pela força muscular.

Nas mulheres, isso também é agravado, causando problemas no metabolismo ósseo. Além disso, distúrbios menstruais ocorrem sem explicação aparente, além do alto desequilíbrio hormonal pelo qual o corpo feminino acaba passando. Para qualquer tipo de gênero, a diminuição da síntese proteica acontece de qualquer forma, seja a quantidade ingerida alta ou baixa.

Mas isso não é um grande problema para quem não é atleta e consome sua cervejinha algumas vezes na semana. Entretanto, para quem espera por resultados, não pode pensar em afetar sua capacidade de sintetização proteica.

Como solucionar este problema?

É um caso interessante, pois o assunto é muito polêmico. O que pode ser resumido deste grande texto informativo é que cada organismo age de uma forma, portanto, cada corpo reagirá ao álcool da sua maneira.

Pensando nisso, a dica principal é: saiba o limite. O ideal é não consumir bebidas alcoólicas 72 horas antes da prática esportiva. É necessário reconhecer os limites e não exigir de seu corpo que ele seja para beber a máquina que ele é para correr.

Agora você já conhece os efeitos do álcool para quem treina! Gostou? Compartilhe!

Bom treino

banner post

Sobre o Autor

Personal Trainer por profissão, blogueiro por acidente. Treino é mais do que um vício: é um estilo de vida para mim! Saiba mais sobre o Renato CREF: 0859033-G/SP

Artigos Relacionados